terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Livros Pai Rico Pai Pobre, parte 4

Aqui vão mais alguns dos livros da coleção do Pai Rico, Pai Pobre. Especialmente para jovens.

Mais uma vez eu repito. Cuidado ao adquirir algumas dessas obras. Porque nem todos esses livros são realmente bons, ou trazem algo diferente do original.

Eu mesmo não tenho parâmetros sobre os outros. Só a respeito do best-seller original.

Pai Rico Pai Pobre para jovens.
Robert T. Kiyosaki & Sharon L. Lecter

Esse é um livro com um conteúdo próximo do original, mas com boxes e quadros de perguntas e respostas, que enriquecem o conhecimento. Especialmente para os jovens, já que como a capa diz, existe uma deficiência no sistema educacional brasileiro - o fato de não ensinar aos jovens as melhores formas de lidar com o próprio dinheiro. E para isso, não é preciso tirar as melhores notas. Apenas iniciar o processo de alfabetização financeira.



Pai Rico Pai Pobre em quadrinhos.
Robert T. Kiyosaki & Sharon L. Lecter

Com apenas 64 páginas, e largamente ilustrado, esse livro traz os conceitos principais de Pai Rico Pai Pobre para crianças e jovens. Utilizando a popular linguagem dos quadrinhos. Vale ressaltar que, aqui mesmo no blog, já citamos outro autor que fez o mesmo - Chris Anderson, em A Cauda Longa (para ver esse post, clique aqui). É também uma experiência diferenciada de aprendizado.


Filho Rico, Filho Vencedor.
Robert T. Kiyosaki & Sharon L. Lecter

O objetivo do livro é fazer as perguntas certas, quanto à educação financeira dos seus filhos: será que a escola prepara seus garotos para o futuro financeiro deles? Ensina como eles podem, não apenas sobreviver, mas também prosperar no mundo atual? E como garantir que eles prossigam no aprendizado, mesmo sem terem tanto gosto para estudar?




A última parte da coleção virá ainda essa semana. Até lá, comentem. Depois do bip.

Bip.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Novas aquisições - Tudo é óbvio.

Esse livro eu já tinha comentado aqui, em outra postagem, quando falei da revista Veja. E decidi comprá-lo.


TUDO É ÓBVIO* Desde que você saiba a resposta, de Duncan J. Watts, é um livro que trata de planejamento. E de como decisões aleatórias, sem fundamentação, podem te levar para o buraco.

Basicamente, lembra aqueles livros sobre planejamento. E que picham caras como o Steve Jobs. Ok, ele é genial. Mas para Watts, o fato de ele ter feito ouro a partir de pouco, atrapalha.

Porque muita gente se baseia meramente na intuição e nos instintos na hora de agir. Especialmente, nas decisões empresariais.



E aí é que tudo pode ir para o brejo. É um livro que me chamou a atenção principalmente por tratar dessa vertente.


Não está em minha lista de prioridades. Mas com certeza vai fazer parte da Biblioteca, com minha visão sobre ele em um post futuro.

Se você já leu e quer dividir sua opinião conosco, fique a vontade e deixe um comentário depois do bip.

Bip.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Vídeos de marketing - campanha da vodka Absolut

Adoro caçar esses vídeos de marketing de guerrilha por aí. Acho que são as ações mais inteligentes, e em geral, causam bastante impacto.

Confiram essa aqui, da vodka Absolut. Foi feito em um aeroporto, no ano de 2005. Simplesmente genial.


A reação das pessoas quando saem do aeroporto? Simplesmente comentar sobre a campanha, e a marca. O famoso bochicho. O que mais deseja um marketeiro / mercadólogo?

Achei esse vídeo no site odiario.com. O link para ele e outros está aqui.

O que você achou? Depois coloco mais alguns aqui na Biblioteca. Enquanto isso, Comente! Depois do bip.

Bip.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Livros - Pai Rico Pai Pobre - parte 3.

Esse é o terceiro post sobre os livros do Pai Rico. Pra você ter uma noção de quantos deles existem. Coloco 3 em cada um. Ou seja, já foram 9 - e ainda faltam mais uns 5.

Lembro, mais uma vez, que os textos e imagens são do submarino.com. Não li nenhum desses livros, adquira por sua conta e risco.

O Guia do pai rico: Irmão rico, irmã rica.
Robert T. Kiyosaki & Emi Kiyosaki

O livro traz a história do autor do best-seller original, e da irmã dele. Isso para corroborar as crenças de Kiyosaki no poder de um propósito na vida, na importância da ação e na superação dos obstáculos. O mais interessante é que, apesar de compartilharem de alguns princípios, os dois tem visões diferentes de mundo. Ele, empreendedor e escritor. Ela, uma entre os monges budistas.


Pai rico pai pobre - Imóveis: Como gerenciar e ganhar (mais) dinheiro.
Ken McElroy.

Como maximizar um investimento imobiliário já realizado, de maneira a conseguir ganhar ainda mais dinheiro? Bem, a ideia do livro que pega carona nos conselhos do Pai Rico Robert Kiyosaki é de fazer as pessoas perderem o medo nesse tipo de investimento. Inclusive, com dicas sobre quando é a hora certa de ser o próprio investidor - ou de contratar alguém para fazê-lo.


Pai Rico: Desenvolva sua inteligência financeira.
Robert T. Kiyosaki

O livro traz cinco princípios considerados fundamentais pelo autor para se alcançar a inteligência financeira. Além de alguns insights para que você possa alcançar seus objetivos. Esse é um livro sobre como se tornar financeiramente competente e desenvolver seu "QI financeiro".




Conhece algum desses livros? Quer escrever uma resenha sobre eles, e ver seu texto publicado na Biblioteca do Masca? Ora, mande ver.

Deixe um comentário depois do bip.

Bip.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Do livro ao link - 10 dicas para melhorar o blog.

Essa é do excelente site Olhar Digital.. São dez dicas bem interessantes para você que, como eu, quer se tornar um blogueiro de sucesso.

O link original é esse aqui. As imagens são do http://aristides-monteiro.blogspot.com .

São dez passos - para desiludir e fazer o blogueiro colocar os pés no chão. E trabalhar pesado. Vamos a elas.

1) "Blogar" não é fazer mágica.

A informação na internet é veloz. Mas sua conta bancária não vai ficar cheia logo depois de você iniciar um blog. É preciso muito tempo de troca de links e relacionamentos estáveis com outros blogueiros. Sue a camisa, não espere retorno fácil, e tenha paciência.

2) Faça os outros trabalharem por você.

A melhor forma é fazer seus contatos no facebook, twitter, linkedin, etc. perceberem o quanto o material que você publica é de relevância. Não é pedir ajuda. É fazê-los perceber como seu material tem qualidade.

3) Não há o que monetizar aqui. Circulando...


Poste e divulgue seu conteúdo, sem esperar retorno imediato. Não acredite nisso que o Google AdSense simplesmente vai te pagar logo nos primeiros meses. Até porque ele nem é o melhor nesse sentido. É possível ganhar dinheiro, mas você precisa publicar, divulgar e ser paciente.


4) Defina um nicho, e fique nele.

Quem quer falar sobre tudo acaba sem falar sobre nada. Então, foque seu conteúdo em um grupo específico, e atenha-se a ele. Inclusive procurando fóruns, outros sites que comentam o mesmo assunto, fan pages e comunidades em redes sociais.

5) Aprenda tudo o que puder sobre SEO (Search Engine Optimization - otimização de buscas)

Isso pode te separar dos spammers para seu público, além de te colocar em belas posições nos buscadores, e garantir que sua audiência vá e volte. Então, acredite: marcadores, tags, e outros códigos, podem te ajudar um bocado.

6) Invista na sua imagem.

Não faça como eu. A ideia de ter um blog com final .blogspot ou .wordpress não ajuda. Passa a ideia de amadorismo. Se quer se diferenciar, invista em um layout exclusivo e um nome único. Farei isso ainda no primeiro semestre, por sinal.

7) Opine, mas dê crédito.

Se for colocar algo que viu em algum lugar no seu blog, faça, mas não esqueça de creditar o autor. Você pode fazer um amigo, além de ser gentil na web, e quem sabe, ganhar novos leitores.

8) O Google está aqui para ajudar.

Existem ferramentas no principal buscador da web, que podem ajudar a conhecer as palavras-chave principais, e os sinônimos, que possuem mais efeito. E assim, você pode aumentar a sua circulação. Experimente o AdWords Keyword Tool.

9) Está se relacionando com outros? Então se relacione mais.

Participar de sites de perguntas e respostas - como o Yahoo! Answers - pode ajudar a promover sua marca pessoal na rede. Abre um canal de diálogo. Permite sua interação com outras pessoas. E pode gerar relacionamentos interessantes e duradouros na grande rede.

10) Escreva para os outros, e os outros escreverão para você.

Textos de outras pessoas em seu blog podem ajudar a se conectar com os públicos que acessam o blog dessas outras pessoas. Além disso, com um pouco de pesquisa, é possível que esse seja o seu público. Una o útil ao agradável. E sempre vale oferecer


Que tal? Essas dicas podem te ajudar muito, principalmente se você é um blogueiro de primeira viagem.

Existem vários livros que ensinam sobre SEO, Blogging, e como fazer marketing em mídias sociais. Não a toa, eu tenho preferido lê-los  nos últimos tempos. Pretendo, sim, fazer desse blog uma forma de conseguir uma renda extra.

Mas a estrada é longa. Para todos nós.

Se quiser caminhar junto, deixe seu comentário. Participe da Biblioteca do Masca. Depois do bip, ok? Atenção, lá vai.

Bip.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Novas aquisições - livros Socialnomics e ROI em mídias sociais.

Esses aqui são excelentes livros pra quem curte as redes sociais.


(Não, esses dedinhos aí não são meus...)

Socialnomics, de Erik Qualman, é (mais uma) obra sobre como as mídias sociais não podem ser ignoradas pelos profissionais de marketing - os famosos... mercadólogos (marketeiro é outra coisa).

Com um novo perfil de consumidor, que compra, avalia e comenta os produtos nas redes, o relacionamento muda. O comprador ganha papel mais ativo. E ai de você se não estiver preparado.

Parece muito com o livro que estou lendo, o Manual de Marketing em Mídias Sociais. Lembra? Um daqueles que parei no meio. Olha aqui.

Retorno Sobre o Investimento em Mídias Sociais trata de formas de definir, medir e avaliar a eficácia das redes sociais. Um problema para quem começa a utilizar essas ferramentas.

Porque não basta só dizer quantas pessoas "curtem" o que você postou no facebook. Ou quantas "retwitam" o que você escreve em 140 caracteres.

Retorno sobre investimento, que em inglês, quer dizer ROI (Return over investment). Por isso, a sigla no título desse post.

Aliás, essa medição e o trabalho nas redes sociais é algo que quero cada vez mais desenvolver com o blog...


(Vou mentir não, essa minha cara está péssima...)

Acho que vou tentar meu mestrado na área de redes sociais. Talvez com foco específico em marketing digital.

Se alguém souber onde há grupos de estudos desse tipo, favor deixar um comentário.

Se você quer saber mais sobre esses livros, pode escrever aqui embaixo também. Depois do bip, deixe sua crítica, dúvida, ou sugestão.

Bip.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Curiosidades - Os livros do Hernanes

Fonte: globoesporte.com

Ok, essa postagem nada tem a ver com livros de negócios ou coisa assim.


Mas achei esse exemplo interessante. Em entrevista ao site globoesporte.com, Hernanes - aquele revelado pelo São Paulo, e que está na Lazio, da Itália, revelou os cinco melhores... Livros que ele já leu.

Quantos jogadores de futebol tem uma lista dessas? Ora, então vamos valorizar o cara. O link da matéria está aqui.

Vou adiantar pra vocês, e colocar quais foram os livros. Além das explicações do cara - que é conhecido na Itália como "Profeta".


"Bíblia" – "É o livro que eu leio praticamente todos os dias. Foi onde encontrei promessas e pedras preciosas que guardo e luto para que se tornem realidade."
"Curso de estudo da fé" (Kenneth Regan) – "É um livro sobre a fé. O Kenneth Regan é um americano que escreveu como se fosse um curso da fé. Fala sobre a Bíblia também, e isso me ajudou muito."
"Lógica e metafísica" (Rotilde) – "Foi o livro que me fez entender muitas coisas. O cientista fala que usa métodos científicos para fazer agir, que usa a razão. Aí, vem o religioso e diz que é preciso usar a fé, não a razão. Esse livro me fez entender que tanto cientistas quanto religiosos estão usando as palavras erradas. Nós aprendemos as coisas de uma única maneira, e não é método científico, é o método como a criança aprende. Como é: observamos alguma coisa quando criança, nem sabemos o que é, e colocamos na boca, testando aquela hipótese criada como se fosse de comer. Até que chegamos à conclusão de que não é de comer e cuspimos. Ou seja, não é nada científico. Esse livro me ensinou. Para entendermos seja a "Bíblia" ou qualquer outro livro, não devemos usar a ciência, mas esse processo."
"The five love languages" – "Fala sobre como educar os filhos. É incrível. Mudou muito minha consciência sobre como educar meus filhos."
"Futebol completo" (J. Alves) – "Esse livro o cara não consegue dar conta de ler sozinho, não (risos). Li com o autor, que é meu amigo, me explicando, e eu coloco nessa lista. Ele (o autor) foi atrás de muitas questões sobre o futebol. Por exemplo, tática. A tática nada tem a ver com a disposição estratégica dos homens em campo, o 3-5-2, o 4-4-2. A tática é uma maneira de aprender que vem de tatear. Ele usa os termos dos quais foi atrás e descobriu não os termos usuais do futebol. Por isso, é difícil de entender. Outro exemplo é o drible, que não tem nada a ver com o que achamos. Drible quer dizer quebrar sucessão. Então, tudo o que fazemos é um drible. A vida é um drible."
Admito que desses todos, fico com a Bíblia e o "Futebol Completo", que inclusive me interessou.
Vou entender também se você achou esse post meio aleatório. Mas, como já disse, é incomum ver algo assim. Jogador de futebol lendo livros.
Enfim, ficam as dicas. Se você quer comentar algum desses, deixe seu comentário depois do bip.
E se quiser comentar seus livros favoritos também, mande ver. Esse é um espaço democrático - não apenas para jogadores de futebol.
Bip.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Livros - família Pai rico, pai pobre - parte 2

Aqui vão mais alguns do grupo Pai rico, pai pobre, lembra?

E a questão persiste. Algum deles - além do original - realmente vale a pena?

Lembro que os textos e imagens são dos sites saraiva.com, submarino.com e livrariacultura.com.

O guia do pai rico: Como ficar rico
Robert T. Kiyosaki com Sharon L. Lechter

Aqui, mais uma vez, o autor trata de como depender menos do crédito (e dos cartões). E como fazer seu dinheiro trabalhar de maneira ideal para você, sem perder os luxos do cartão. Ou você corre um sério risco de entrar mal na história. Um livro bastante semelhante ao próprio Pai rico, mas focado na questão do relacionamento com os cartões de crédito. 

Detalhe: odeio livros com título do tipo "como ficar rico" e tal.


O guia do pai rico: profecias do pai rico.
Sharon L. Lechter

A forte queda nas bolsas de valores e a crise nas empresas chegou a preocupar muita gente nos últimos anos. Teve quem começasse a se preocupar com as falhas nos planos de aposentadoria. Robert Kiyosaki havia previsto isso. Nesse livro, ele mostra como seremos afetados por esses problemas, não importando idade, local ou residência. Ao mostrar essa situação, ele também apresenta formas de como salvar suas economias, em prol do seu bem estar no futuro.

Detalhe 2: Esse, sim me interessou, por causa do cataclismo iminente do INSS.


O guia do pai rico: histórias de sucesso.
Robert T. Kiyosaki

O livro, como o nome diz, conta histórias de sucesso de pessoas que seguiram os ensinamentos do Pai Rico Pai Pobre. Como essa obra deseja o desenvolvimento da consciência financeira de cada um, Histórias de Sucesso nada mais faz que mostrar exemplos. E quais os caminhos que essas pessoas usaram para estarem bem hoje.

Detalhe 3: Não importa sob qual contexto, bons (e maus) exemplos ensinam.

Por enquanto, são esses. Logo, em outro post, falo de mais livros da família.

Aproveite para deixar seu comentário, crítica, dúvida ou sugestão. Depois do bip.

Bip.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Sua prateleira - Livros de negócios dos amigos.

Esse é um espaço que, espero, passe a ser um dos mais legais da Biblioteca do Masca. Onde você pode deixar o seu texto sobre algum livro que você gostou de ler.

Claro que darei preferência aos de negócios, gestão, empreendedorismo, marketing e áreas afins. Mas você pode falar do livro que quiser.

Fique a vontade. Essa é a sua prateleira. E a primeira a colocar na estante é minha amiga pessoal Silene São Pedro. Ou apenas Sila.



Fonte: Submarino.com
O livro dela: O Segredo de Luísa.

Quando fui fazer a minha matrícula na faculdade de administração recebi, junto com todos aqueles papéis, um livro. O nome era O Segredo de Luisa. Para os desavisados parecia nome de livro de introdução a filosofia – como O Mundo de Sofia. ou até mesmo um romance.

Intrigada, conferi a grade de matérias. Então encontrei o aviso: os alunos deverão ler este livro até o início do ano letivo.

O livro conta a história de uma mulher que está se formando em odontologia por pressão da família, e presa a um relacionamento que já não a faz feliz por pressão da sociedade. Alguma semelhança com a realidade de um monte de gente que conhecemos?

Pois é. É neste clima que ela sente surgir uma oportunidade que vem da lembrança dos aromas de sua infância, quando sua tia fazia goiabada cascão para ela. Junta a isso seu perfil empreendedor e faz tudo acontecer.

Na minha vida, ele significou a descoberta do meu lado empreendedor. Com este livro, que eu chamo mais de manual, eu aprendi, passo a passo, a montar o Plano de Negócios da Banho de Lendas. Que antes disso, só existia em minha cabeça e nos conhecimentos de produtos fitoterápicos e aromaterápicos acumulados em anos de estudos paralelos a minha carreira.

Desde o primeiro ano de faculdade, meu Plano de Negócios, feito com base no que fui aprendendo durante cada ano e as matérias, e nos frameworks existentes no livro, participou e ganhou o primeiro lugar, por quatro anos seguidos, no Concurso de Planos de Negócios que a faculdade promovia.

A cada ano, claro, os conhecimentos eram amadurecidos e assim também o Plano de Negócio. Eu descobri que minhas ideias tinham uma atrativa taxa de retorno, um considerável investimento inicial e um capital de giro que necessitava de administração ferrenha. 

Mas que, com tudo isso, era viável a ponto de render um convite para a incubadora de empresas da instituição.

Eu super indico este livro não só para alguém que esteja com a ideia de montar seu próprio negocio. Também para aquela pessoa que quer dar um start up diferente a sua carreira.

Lendo este livro você poderá enxergar nas entrelinhas que você mesmo DEVE ser seu próprio negócio. Seja empreendedor 24 horas de você mesmo. Só temos a ganhar com isso.

Boa leitura! :)

Silene São Pedro é gestora administrativa e de projetos, graduada em TI pela UNIFACS, Salvador_BA, pós-graduada em Psicologia Organizacional pela mesma instituição, e MBA em Gestão de Projetos, Especializada em Gestão de TI pela UNIJORGE, Salvador-BA.

Pode comentar o que achou. Depois do Bip.

bip.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Video de marketing de guerrilha - parte 2

Bom, agora com um pouco mais de tempo, vou postar o segundo vídeo. É da montadora japonesa Nissan - aquela mesma dos pôneis malditos.

A ação foi feita na cidade de Dusseldorf, na Alemanha. Duas mulheres colaram adesivos em que traziam "uma nova perspectiva" para quem tem um Porsche - principal concorrente do GT-R, da Nissan.

Então, elas colaram adesivos no vidro da frente dos carros. Acha que deu confusão? Confira o vídeo.


E se você pensa que foi um tremendo incômodo para os motoristas, bem, a Nissan conseguiu aumentar em 23% o número de test-drives. Então, acho que valeu, não?

Só que é preciso ter cuidado ao usar o marketing de guerrilha. A Procter & Gamble, por exemplo, pagou caro por isso.

Caixa de madeira da P&G isolada por faixa policial no RJ.
Tentou fazer uma ação com caixas de madeira fechadas, e sem qualquer indicação, no Rio de Janeiro. Espalhou os recipientes pela cidade.

O problema é que o Rio havia sofrido com quatro dias de duelos entre a polícia e traficantes. Assim, as embalagens deixavam no ar a suspeita de bombas. O que gerou mobilização da segurança pública.

E como todas as emissoras de TV foram cobrir, o tiro saiu pela culatra...

Diferente do que fez a Post it. Aquela empresa que faz os adesivos para fixar em cadernos - os  lembretes, sabe?

Em uma intervenção inteligente no Peru, eles colocaram a lembrança para os estudantes devolverem o livro de inglês na biblioteca. Só que em gelo.


A ideia é passar o quanto podemos esquecer rapidamente das coisas ("a memória é frágil"). É a mensagem que ficou embaixo da intervenção de gelo. Com o símbolo post-it.

Enfim, essa eu achei que funcionou. Mas você pode discordar.

Deixe seu comentário, crítica ou sugestão depois do bip.

Bip.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Video de marketing - ação de guerrilha.

O marketing de guerrilha tem esse nome porque utiliza uma ação rápida, com poucos recursos e eficaz para o maior número possível de pessoas. Como agem os guerrilheiros mesmo.

Vi vídeos em que essas ações foram feitas com inteligência. O primeiro deles é de uma campanha feita em Curitiba, de conscientização pelas vagas reservadas para pessoas com deficiência.

É aquela história do "é só um minutinho". Só que nos dos outros é refresco. E quando é com você?

Confiram!


E ainda tem gente que não respeita mesmo... Amanhã eu falo um pouco mais sobre o assunto. Enquanto isso, comentem o vídeo. Depois do bip.

Bip.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Post rápido - caso SOPA e os direitos autorais.


O site Megaupload, que sempre disponibilizou conteúdos de vídeo, áudio, etc. gratuitamente para download foi fechado pelo governo dos Estados Unidos. Os donos do endereço web foram presos.

Por que? Legislação norte-americana de direitos autorais. O site teria violado a lei, de acordo com o governo.

Isso gerou uma série de ações dos anonymous. Um grupo de hackers conhecidos, que usam máscara semelhante ao do personagem principal no filme e na história em quadrinhos V de Vingança.

Eles simplesmente invadiram e derrubaram sites da Universal Music, do departamento de justiça, e chegaram até o do FBI.

Tudo pela queda do Megaupload.

Essa questão de direitos autorais começou lá atrás, ainda nos anos 1990, com o velho Napster. O programa de áudio que baixava músicas gratuitamente gerou um tremendo burburinho, até que foi retirado do ar.

Dessa vez, foi o Megaupload. Só que agora, os hackers do "mundo livre" estão mais preparados. E em condições de, pelo menos, invadir os grandes sites.

Mas a coisa não fica por aí, pessoal. Fala-se que na semana que vem, o congresso norte americano vai votar a SOPA. Sigla para Stop Online Piracy Act. Ou ato pela parada da pirataria online.


A SOPA quer dotar os órgãos estadunidenses de poderes para obter ordens judiciais contra sites que facilitem ou infrinjam os direitos de autores. Ou cometendo outros delitos fora da jurisdição dos EUA.


Além disso, o procurador iria solicitar que as empresas parassem de negociar, retirem referências desses sites, e haja filtragem do conteúdo.

Fala-se que gigantes da web, como Google, Facebook, Yahoo!, Twitter, Linkedin, Mozilla, Wikimedia e outros são contra. Não tenho como confirmar.

Outra informação que circula nas redes sociais é que todos esses sites retirariam seus serviços do ar por um dia. Possivelmente o dia 23, véspera da votação do projeto. Não tenho informação de que isso realmente vá ocorrer.

Mas já imaginaram um dia sem Google, Facebook ou Twitter?

Podemos estar às portas da primeira guerra digital da história. Mas sem dramas.

Não quero puxar a sardinha pra um lado ou outro. Mas convenhamos: hoje em dia, o controle aos direitos autorais é muito complicado. Em um mundo globalizado, imagine se a lei do Brasil impede alguém de regravar, em japonês, a música que o Michel Teló canta (Ai se eu te pego...)?

E quando se fala em áudio e vídeo, e até livros, distribuídos com alguma moderação pelo Youtube, 4Shared, entre outros... Bem, é um mundo onde as portas estão mais abertas.

E parece que essa SOPA tenta legislar em cima de algo que as grandes corporações, artistas e até grandesu autores já aprenderam a se adaptar. Ou você acha que quem vendia mais MP3 na web, seu Zé da esquina ou o Yahoo! ?

Parece muito mais que o governo quer tentar controlar a web. Só que os políticos usam métodos retrógrados e burocráticos. Algumas vezes, autoritários.

E a nova web, as novas relações humanas, o mundo globalizado, não aceita isso muito bem. 

Que tenhamos mais discussões sobre os direitos - mas que eles cheguem realmente aos donos das obras.

Que os autores possam encontrar novas formas. Quem sabe vender seu livro virtual em parte - um material para a web gratuitamente, outra parte para pagantes exclusivos - com uma chave de acesso.

Depois dessa madrugada, pode ser que muita coisa comece a mudar na internet...

Para acompanhar o caso, recomendo sitas como o olhar digital e a revista exame.

Se quer deixar seu comentário, contribua. Depois do bip.

Bip.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Livros - família Pai rico, pai pobre

Desde já me pergunto até que ponto chega a possibilidade de se pendurar em algum sucesso para se destacar...

Fiquei impressionado com a quantidade de livros relacionados a Pai rico, pai pobre, best-seller de Robert Kiyosaki. Ainda não li nem o original, que dirá os demais...

Na "coleção completa" vendida pelo submarino, são 9 livros. E tem mais. Vou colocar alguns deles aqui, caso vocês se interessem. Mais a título de curiosidade mesmo.

E fica a pergunta, principalmente para quem já leu. Vale mesmo a pena ler sobre essas áreas específicas nesses  livros? Ao que parece, a maioria, ou todos eles, tem alguma "assinatura", do Kiyosaki.

Vamos a eles. Os textos e imagens são dos sites submarino.com, saraiva.com e livrariacultura.com.

Pai rico, pai pobre.
Robert Kiyosaki

A ideia do livro é desenvolver a inteligência financeira das pessoas. E como ela pode ser empregada para resolver diversos problemas do cotidiano. Para o autor, sem um treinamento financeiro, nossa vida se torna um ciclo de ações padronizadas. Trabalhar, poupar, fazer empréstimos e pagar impostos. Ora, mas existem outras formas de destinar esse dinheiro. E é fundamental preparar os filhos para esse mesmo caminho, o quanto antes. 




Pai rico, pai pobre. Como investir em metais preciosos.
Michael Maloney (obs: prefácio de Robert Kiyosaki)

Aqui, o autor conta algumas histórias sobre como o ouro e a prata se revalorizaram ao longo do tempo. E chega às constantes crises mais recentes, vistas por ele como um momento de "tempestade econômica perfeita". A ideia principal é ensinar a investir em metais preciosos, para obter bons lucros, com o pensamento no futuro financeiro desse investidor. Próximo do mostrado em Pai rico, pai pobre.



O guia do pai rico. Quem mexeu no meu dinheiro?
Sharon L. Lechter & Robert Kiyosaki

Um livro voltado para quem quer cuidar melhor, e obter mais retorno do dinheiro investido. A proposta é ajudar o leitor a entender o porquê de alguns investidores obterem um retorno bem acima da média. Se a maioria investe mesmo em fundos de investimento e planos de aposentadoria, esse livro se aplica a quem quer dinamizar os investimentos - e lucrar mais com isso. Uma espécie de guia do livro original, como o livro se propõe a ser.


Esses são só os primeiros. O restante vem depois.

Aproveite para deixar sua opinião depois do bip.

Bip.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Livro - Investimentos à prova de crise.

Fonte: www.oplanodavirada.com.br
Eis um livro que cumpre o que promete. Além de funcionar como um excelente manual de investimentos mais dinâmicos. Para pessoas que não querem tanto risco. O que pode ser o seu caso.

Investimentos à prova de crise (Lua de papel, 2010), de Marcos Silvestre, ensina ao leitor como buscar alternativas melhores para os próprios investimentos.

É como o outro livro dele, 12 meses para enriquecer - o plano da virada.  (Para mais sobre esse livro, clique aqui) Só que sem a parte sobre dívidas e gastos. Ele foca bastante nos investimentos mais dinâmicos.

Principalmente nos títulos do Tesouro Direto e nas ações. Muita gente ainda tem pavor do mercado de ações. Acham que é uma verdadeira jogatina.

Por mais que pareça um cassino, nesse aqui você realmente pode ganhar dinheiro. Tudo depende de sua estratégia. 

E o Marcos Silvestre propõe uma de baixo risco, e alto retorno. No longo prazo. Ou seja, é preciso paciência e persistência nos investimentos. 

Ele dedica mais tempo para falar do Tesouro Direto. Uma aplicação considerada segura. Feita via uma corretora, semelhante à aplicação em ações. E que oferece até três vezes mais rentabilidade que a poupança.

Passo a passo, inclusive com figuras, ele mostra como operar no Tesouro Direto via Home Broker, software que você pode ter na sua casa para compra e venda dos títulos. E de ações.

Falando nelas, o capítulo dedicado às mesmas mostra uma estratégia interessante, de compra de blue chips - as chamadas ações preferenciais. A partir das listas das melhores ações dos cinco anos anteriores.

Simples? Segundo Marcos Silvestre, funciona.

Como o foco dele está voltado no pequeno e médio investidor, quem já conhece ou aplica em ações talvez não se interesse tanto pelo livro.

Um (pequeno) ponto negativo. Ele escolheu uma corretora, e pelo site dela, mostrou os modelos de compra. E fez questão de repetir o nome dela várias vezes. 

Uma bela propaganda, diga-se. Mas ele tinha que mostrar algum site, então, não dá pra criticá-lo.

Por outro lado, quem tem receio de investir dessa forma pode perder o medo. E usufruir de excelentes conselhos para multiplicar o próprio dinheiro.

Não é a toa que estou pensando em atrasar um pouco a compra do meu primeiro carro...

Críticas, comentários e sugestões podem ser feitos, pessoal. Depois do bip.

Bip.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Lições aprendidas - A bola não entra por acaso.

Um livro para quem gosta de futebol. E, também, para gestores inteligentes. 

Afinal, quem não gostaria de ter uma equipe, em qualquer área, como o Barcelona, o clube mais admirado do mundo na atualidade.

O Barcelona consegue ser mas que un club, como o slogan da equipe. Então, aqui vai o que aprendi sobre esse livro para "fazer a bola entrar":


1. Conheça o terreno.
- Estude o setor, o seu produto, como se ganha dinheiro na sua área, quem ganha dinheiro e por que, o que os concorrentes fazem, e o que os reguladores do mercado esperam.

2. Desenvolva a Estratégia.
- Reflita sobre e seja fiel a ela nas suas ações, de maneira que não precisa duvidar ou repensá-la todos os dias.
- O melhor investimento de marketing é o da melhora do produto
- Qual a nossa vantagem competitiva, e como somos vistos pelo concorrentes.

3. Sua equipe.
- Fórmula: (CxE)t, onde C= compromisso / E= equilíbrio / t=talento.

3.1. Os personagens do jogo:
- Visionários - craques do time.
- Doutores não - respeitados e coerentes.
- Ombros - aquele que executa, e que você pode confiar.

3.2. Etapas de desenvolvimento da equipe: 
- constituição (conheça a equipe), agitação (brigas, é preciso buscar pontos de compreensão), normalização (atenção para evitar relaxamento) e consolidação (construção de fortes relações pessoais).

4. O líder.

"Os bons capitães são quase tão importantes quanto o treinador. É preciso investir tempo para identificá-los, formá-los e ajudá-los em sua tarefa".

- Identificar qual estilo de liderança mais apropriado para o time.
- O líder: conteúdo, respeito, caráter, capacidade de mudança de estilo.

5. O RH (Recursos humanos).

- Recrutar com critério: valorizar o talento, conhecer o grau de compromisso, e como será o encaixe do profissional no grupo.
- Formação:  racionalizar critérios objetivos de avaliação, para que quando a inspiração chegue, pegue o profissional trabalhando.
- Higiene no pagamento: elaborar guia com as diferenças salariais, a partir de critérios objetivos, e pensar se vale a pena mesclar valor fixo com ganho variável por resultados.

6. A Negociação.

- Preparação é fundamental antes de sentar na mesa.
- Avalie o momento, se é bom para você e se o mercado o favorece.
- Liste onde você pretende ceder, e as contrapartidas.
- Não esqueça que o que ganha a negociação é o interesse do negociador, e não a posição adotada por ele.

7. Inovação no século XXI

Inovar: "aplicar uma ideia que satisfaça as necessidades dos consumidores, que não está articulada nem satisfeita".

- É descobrir, não inventar. Um novo olhar face às necessidades, ser o primeiro a chegar no consumidor, a partir de pistas que ele vai deixando.
- Limite os riscos, com critérios objetivos.

Para saber mais sobre esse livro, clique aqui.

Acho que é isso. Se quiser saber mais sobre o livro, estou à disposição. Muita coisa daqui pode ser encontrada também em A ideia é boa. E agora? 

Para ler tudo que foi escrito sobre esse livro na Biblioteca do Masca, clique aqui e aqui.

E não esqueça. Deixe seu comentário depois do bip.

Bip.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Livros - parei no meio parte 2.

Aqui, eu termino minha lista de livros que parei na metade. Ou nem avancei tanto assim...

Mediatraining
Nancy Alberto Assad - Reinaldo Passadori

O conteúdo na área de treinamento para relacionamento com os media - outro nome para meios de comunicação - não é encontrado em muitos livros. E nesse aqui, está bem explicado e apresenta situações diferentes em que o profissional interessado em se desenvolver na área pode trabalhar. Independente se é TV, rádio, impresso, enfim. Vale também para quem precisa melhorar a forma de relacionamento com os veículos de comunicação, e de respostas às crises de imagem.



Plano de negócios - seu guia definitivo
José Dornelas.

Como eu já tinha lido outro livro de plano de negócios, deixei um pouco de lado esse do Dornelas. O mais interessante é que ele espera que o leitor desenvolva o plano junto com a leitura do livro. E por isso, ficou mais difícil pra mim. Estava na pós e fui fazendo o plano com amigos. Então, não passei etapa por etapa nessa obra. Mas vale a experiência do Dornelas. Apesar de eu reclamar do preço dos livros dele - com relação ao conteúdo apresentado - que as vezes é encontrado em outras obras. Mas esse vale a pena. Principalmente se você nunca leu sobre o assunto.

No quesito livros de negócios, esses são os não finalizados até hoje. Mas tenho que admitir que existem outros - como a biografia do Kiss, um do Zeca Camargo sobre entrevistas com artistas - que não terminei.

Ainda.

Mas será que é tão ruim assim mudar de ideia ou de assunto? Principalmente quando aquilo não te motiva?

Enfim, se você já leu ou quer saber mais sobre livros semelhantes, é só deixar um comentário depois do bip.

Bip. 

domingo, 15 de janeiro de 2012

Video de marketing - Câmera heineken

Eu me divirto com a criatividade desses caras que bolam propagandas... Será que eles aprendem em algum livro?

Aqui, a Heineken resolveu colocar o expectador em uma situação comum a todos quando assistimos a um jogo e bebemos. Seja cerveja, refrigerante, enfim.

Imagine se o cameraman fizesse como nós? Abaixo, o resultado.


No mínimo, inusitada.

Opinem. Deixem um comentário. Depois, curtam a Biblioteca do Masca no facebook.

Para os comentários, logo depois do bip, ok?

Bip.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Livros - Parei no meio.

Vocês já viveram a situação de parar um livro no meio? O que os levou a fazer isso?

No meu caso, foi falta de tempo. Ou apareceu outro mais interessante no momento. Ou o tempo de aluguel na biblioteca da faculdade expirou. Ou tudo junto, e algo mais...

Bem, aqui vai uma breve lista de livros que pretendo terminar de ler. Se alguém souber o final, pode comentar a vontade.

Vou voltar a esses livros de qualquer jeito...

A estratégia em ação - balanced scorecard.
Robert Kaplan e David P. Norton

Kaplan e Norton desenvolveram uma nova metodologia de análise da empresa, chamada de scorecard. Eles pontuam quatro perspectivas - financeira (como acionistas devem ver o negócio), do cliente (como o público vê a empresa), dos processos internos (onde alcançar a excelência) e do aprendizado e crescimento (como sustentar nossa capacidade de melhora, rumo aos nossos objetivos). A partir de pontuações entre elas, eles verificam onde há capacidade de melhora, para o negócio atingir a excelência.


Como fazer amigos e influenciar pessoas.
Dale Carnegie

Alguns caras estão a frente do seu tempo. Dale Carnegie é um deles. A partir de uma método poderoso, ele já sabia como encantar clientes, influenciar decisões e até conseguir novos amigos no começo do século passado. Esse livro é fundamental para quem trabalha com negociação, ou deseja saber mais sobre como funcionam as reações das pessoas. E, claro, como tratar com elas, de maneira sedutora - e até persuasiva, se for o caso. Quem me indicou foi uma grande amiga jornalista, que trabalhou comigo na rádio Band News FM.



Manual de marketing em mídias sociais.
Darren Barefoot e Julie Szabo

Uma obra que se parece com A Bíblia do Marketing Digital, do Cláudio Torres - um ótimo livro, por sinal. Talvez por ter lido o primeiro, ainda não finalizei o segundo. Os autores são consultores na área, e apontam caminhos interessantes e estratégias inteligentes para quem quer se utilizar das potencialidades do social marketing. Seja na blogosfera, ou nas redes sociais, microblogs, enfim. Em cada um desses sítios, é possível desenvolver estratégias específicas - além de atrair clientes e divulgar a sua imagem.

(Em tempo: as imagens são dos sites sebodomessias.com.br, ctm.org.br, e linuxmall.com.br)

Ainda tem mais dois ou três que não terminei. Falo deles no futuro próximo.

Se você também tem livros não finalizados, ou já leu os livros citados aqui, e quer dar sua opinião, por favor, fique a vontade. Depois do bip.

Bip.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Vídeo de marketing - Diesel cam

Mesmo sendo um blog de livros, gosto de deixar dicas e sugestões de marketing, que podem funcionar.

Esse vídeo é um dos meus favoritos em conceito de marketing digital. E não sei como outros empreendedores ainda não aproveitaram algo assim.


A ideia é simples. A pessoa vai à loja, experimenta a roupa, tira uma foto... E posta no facebook.

Quem gostar, curte. A depender da quantidade de "curtidas", a pessoa pode levar ou não.

Ou ainda, influenciar outras que estão na rede social. E nunca repararam que essa roupa fica desse jeito. Afinal de contas, cabide não é cintura, certo?

Um marketing gratuito para a marca, e a loja.

Méritos para o pessoal do Digitalks. Foi num evento deles que esse vídeo foi apresentado. Uma sugestão de marketing simples, que pode trazer excelentes frutos aos interessados.

E você, o que achou do vídeo? Deixe seu comentário ou crítica depois do bip.

Bip.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Livro - Encantamento.

Fonte: paginas-com-memoria.blogspot.com
Guy Kawasaki é muito bom. Esse é o segundo livro dele que leio. 

Ele consegue escrever com bom humor, sem perder a atenção nos detalhes mais importantes. É um autor que encanta.

Encantamento (Enchantment, Alta Books, 2011) é a palavra usada para definir o que gente como Steve Jobs ou Richard Branson conseguiram fazer com Apple e Virgin por exemplo.

É o dom de conquistar o coração das pessoas. É a forma como sempre seremos lembrados por quem nos interessa. É como tornar uma pessoa... Nosso eterno cliente.

Não é a toa que essa é a nova forma de trato das empresas com a clientela.

Apesar de eu usar a expressão "dom" ao descrever o encantamento, para Guy Kawasaki, isso pode ser descoberto. Explorado. E até mesmo ensinado.

E é verdade. Constatei isso depois de ler o livro.

O tempo todo ele trata do assunto com linguagem simples. Traça formas de se chegar ao encantamento das pessoas ao nosso redor. Nosso chefe. Como superar a resistência alheia.

E até como lançar nossos produtos, e utilizar redes sociais e apresentações em power point.

A primeira vista, parece auto-ajuda. Alguns conselhos, aparentemente, enjoam por causa desse preconceito. Mas há muitas partes que podem ser aproveitadas na prática.

Os conselhos de pessoalidade e personalização de páginas no twitter e facebook. O porquê dos vídeos no youtube precisarem ser curtos.

Ou as formas de como lidar com o(a) chefe. E até como resistir ao encantamento que existe no mundo ao nosso redor - economia de mercado, sociedade de consumo, sabe?

Encantamento é um livro com linguagem leve, pode ser lido em um dia. E que, por sinal, nos ajuda a sermos melhores até com nossos vizinhos e possíveis inimigos.

Mas o melhor do Guy ainda é A Arte do Começo (Mais sobre esse livro, clique aqui)

Se você já leu algum desses livros, ou quer fazer comentários ou críticas, aproveite! Depois do bip, ok?

Bip.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Do livro ao link - Como ler livros de negócios.

Fui pesquisar na web sobre livros de negócios, e vi um texto interessante. É do Daniel Heise, que escreve no blog da revista Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Ele cita um artigo do blog de Seth Godin, autor dos livros Sobreviver não é o bastante e Todo marqueteiro é mentiroso. 

Godin acredita que a vendagem alta de livros de negócios está relacionada ao viés motivacional que eles provocam nas pessoas. Sabe, aquela história meio "auto-ajuda" que eu já comentei aqui.


"Você pode obter sucesso. Lute pelos seus objetivos. Planeje, e você pode fazer acontecer!"

Pra muita gente, livros de negócios soam como esse tipo de auto-ajuda. E Godin admite que, nos dele, motivação é 95%, enquanto que o famoso "como fazer" ocupa 5% de espaço.

No final, ele pontua que acha mais interessante a pessoa se predispor a mudar pelo menos três coisas no próprio dia-a-dia. Para atingir os objetivos que vão ser propostos pelo livro.

Afinal de contas, o livro não quer te ajudar a chegar em outro ponto? Ir além? Obter uma condição melhor? Te MOTIVAR?

Essa é a palavra-chave para Godin. E assim são vendidos milhares de livros de negócios. Até aqueles que prometem riqueza e tudo o mais.

Aí o Daniel Heise lança o questionamento: livros de negócios, ler ou esquecer? Ao final, concorda com Godin e pretende retomar, com esse novo viés, as leituras.

O que eu penso? Olha, adoro livros de negócios, gestão, enfim. Alguns são meio chatos. Outros, mais específicos. Tem os mais motivacionais. E uns bem "mão na massa."

Acho que é apenas uma questão de não se iludir. Um livro não te dá solução para todos os problemas. Mas abre sua mente.

Apresenta novas perspectivas. Coisas que você nunca viu. Ou viu, mas com um viés diferenciado. E ainda, com exemplos e casos inovadores.


Talvez um dia eu leia tantos livros, que eles comecem a se repetir, e a encher meu saco. Mas aí surge uma aplicação nova. Um olhar diferente.

Sempre surge. Porque somos humanos. E é o que fazemos. Vemos um dia diferente do outro.

Quem se interessar, aqui estão os links dos blogs dos rapazes.


Critique, comente ou sugira para a Biblioteca do Masca. Depois do bip, galera.

Bip.